Doenças Cérebro-cardiovasculares

Em Portugal, as doenças cérebro-cardiovasculares representam a principal causa de morte prematura. 

As doenças cérebro-cardiovasculares são um grupo de doenças do coração e dos vasos sanguíneos.

As doenças cérebro-cardiovasculares incluem:

– Doença cardíaca coronária – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o músculo cardíaco;
– Doença cerebrovascular – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o cérebro;
– Doença arterial periférica – doença dos vasos sanguíneos que irrigam os braços e pernas;
– Doença reumática do coração – danos no músculo do coração e válvulas cardíacas de febre reumática, causada por bactérias;
– Doença cardíaca congénita – malformações na estrutura do coração existentes desde o nascimento;
– Trombose venosa profunda e embolia pulmonar – coágulos de sangue nas veias das pernas, que se pode desalojar e prosseguir para o coração e os pulmões.

Os ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais são geralmente eventos agudos e são causados ​​principalmente por um bloqueio que impede o sangue de fluir para o coração ou cérebro. A razão mais comum é o acúmulo de depósitos de gordura nas paredes internas dos vasos sanguíneos que irrigam o coração ou cérebro. Os enfartes agudos do miocárdio também podem ser causados por hemorragia num vaso sanguíneo no cérebro ou pela formação de coágulos sanguíneos.

As doenças cérebro-cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. Estima-se que 17,3 milhões de pessoas morreram de doenças cérebro-cardiovasculares em 2008, representando 30% das mortes globais. Prevê-se que, em 2030, o número de mortes causadas por estas doenças atinja os 23,3 milhões.

Em Portugal também é a principal causa de morte, sendo que por 100000 habitantes, 197,1 morreram por causa de doença cérebro-cardiovascular.

Estas doenças estão associadas a um conjunto de fatores de risco. Alguns não podem ser modificados, como a hereditariedade, o sexo e a idade. Outros, pelo contrário, podem ser evitados, tais como, a hipertensão, tabagismo, stress, obesidade, diabetes e dislipidémia. É sobre estes últimos que nos devemos debruçar para prevenir as doenças cérebro-cardiovasculares, sendo essencial a adoção de uma alimentação variada, equilibrada e completa; a prática de atividade física regular, a manutenção de um peso adequado e de uma pressão arterial dentro dos parâmetros adequados (pressão arterial sistólica – inferior a 140 mm Hg; pressão arterial diastólica – inferior a 90 mm Hg).

Partilhar
Topo